Saltar para o conteúdo principal

Inscrições abertas para residência artística “Arte Urbana”

Estão abertas as inscrições para o workshop “Arte Urbana”, que decorre de 9 a 13 de novembro, das 10 às 13 horas e das 15 às 17 horas, no Núcleo Rural de Coruche. Integrada na Programação em Rede e promovida pela Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) em cooperação com a Câmara de Coruche, a atividade, dedicada ao tema “Tradições Rurais”, é dinamizada pelo artista plástico e multimédia BIGOD, pseudónimo de João Domingos, tomando a forma de residência artística intensiva ao longo de uma semana que culminará em apresentação pública a 13 de novembro, pelas 16 horas, no Posto de Turismo. A participação está limitada a 10 pessoas com idade mínima de 15 anos. A lista de participantes será composta por ordem de data de inscrição, sendo que as inscrições devem realizar-se até 31 de outubro através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. (ficha de inscrição disponível abaixo para download).

O workshop tem como propósito introduzir e aprofundar a técnica de stencil com os residentes, proceder a experimentação de corte e pintura de stencil e, por fim, escolher e aplicar uma imagem para pintura de um mural que será apresentado ao público no dia 13 de novembro. Assim, o projeto da CIMLT concretiza a criação de intervenções artísticas a partir da arte do stencil, cuja técnica assenta na estampagem por meio de um desenho já recortado - arte que terá tido origem na China juntamente com a invenção do papel no ano 105 d.C. Discutivelmente, é referido por alguns autores que o uso do stencil teve origem anterior, na China e no Japão, nos anos 500 a.C., onde seria utilizado com elementos naturais, como folhas e rochas. Durante a Segunda Guerra Mundial verificou-se o uso frequente da técnica em intervenções urbanas de propaganda e como forma de impressão. O stencil permite a aplicação de um desenho sobre qualquer superfície com o uso de tinta, aerossol ou não, e é realizada com recurso a papel, plástico, metal ou acetato – materiais duráveis e fáceis de cortar. Hoje, o stencil tornou-se um movimento artístico e urbano relevante.

A residência artística “Arte Urbana” é, de acordo com a CIMLT, um projeto de capacitação cujos objetivos incidem na aquisição e no desenvolvimento de competências básicas, profissionais, sociais e pessoais, procurando contribuir para uma maior integração, para a eliminação de discriminações, assimetrias económicas, sociais, culturais e territoriais através de práticas artísticas e culturais, bem como para o aumento dos sentimentos de pertença na comunidade. A programação aposta na capacidade criativa e artística do território, com envolvimento de agentes culturais locais, tendo ainda por objetivos a promoção do emprego e a valorização de atividades associadas. As ações acontecem sobretudo em espaços públicos, nos centros urbanos e históricos de cidades, vilas e aldeias, maximizando as potencialidades de monumentos e centros urbanos; fortalecendo a atratividade turística através da valorização de vivências culturais identitárias. Na visão da CIMLT, as intervenções preconizadas contribuem para dinamizar e promover o património cultural enquanto instrumento de diferenciação e competitividade dos territórios, particularmente através da cultura e das artes.

Até dezembro, a CIMLT conclui, no âmbito da programação cultural em rede a desenvolver ao longo de 18 meses, sete projetos culturais nos seus 11 municípios. Em Coruche já subiu a cena, no dia 6 de julho, o espetáculo de teatro infantil “Tejo por um Fio” e decorreu o workshop “Estátuas Vivas” de 26 a 29 de julho no âmbito da residência artística Valoriz’arte, bem como o projeto “A Lezíria a Gostar dela Própria”, a 17 de agosto. Sucederam-se ainda a residência artística “Cinema Documental” a 26 de setembro, a apresentação de “Mosaico” no correr da Bienal de Coruche e o atelier “Dançar com… Vindimas”, apresentado a 30 de setembro, não esquecendo, claro, o workshop de técnica stencil “Arte Urbana”. A CIMLT, que apresentou a 18 de junho, no Convento de São Francisco, em Santarém, o Plano de Ação Programação em Rede/Lezíria do Tejo, suporta uma programação orçamentada em 600 mil euros, resultante de candidatura a fundos comunitários. A programação tem apoio financeiro dos programas Alentejo 2020 e Portugal 2020, bem como da União Europeia.

+info: https://www.cm-coruche.pt/noticias_impt1/item/3204-cimlt-apresenta-programacao-cultural-em-rede